Marcas do Grupo

Quanto custa viver em Portugal
O Emigrante / Mundo Portugus
Email: Password:
 
Primeira vez? Registe-se gratuitamente aqui.
Esqueceu-se da sua password? clique aqui.


Quinta-Feira, 24 Abril 2014 - 06:06 (Açores 05:06)
Homepage
SECÇÕES

Lisboa
Clique aqui para saber a hora de outras cidades

newsletter
meteorologia

Economia

    

Quanto custa viver em Portugal

Tera-Feira, 22 Abril de 2008
O preço do dinheiro aumentou nos últimos meses e a inflação vem galopando para valores acima do aceitável pelos economistas. Por terras lusitanas, a tão discutida ‘crise' persegue a vida dos portugueses e vai-se fazendo sentir de cada vez que se puxa da carteira. Ora, cada mercado tem as suas particularidades. Fique a conhecer nestas duas páginas quanto se paga em Portugal por um quilo de arroz, ou qual o preço de um televisor LCD. Para se perceber ao certo quanto custa viver em Portugal.


Para percebermos quanto custa viver em Portugal, procurámos identificar quais os gastos habituais com que as pessoas lidam durante a semana. Desde o café da manhã e do abastecer do depósito de gasolina, às compras para o jantar do dia ou a uma ida ao cinema. No fundo, os gastos mais comuns, com os quais a maioria das pessoas se identifica.

Os valores aqui descritos são meramente indicativos, uma vez que a maioria dos preços varia de estabelecimento comercial para estabelecimento comercial. O objectivo do trabalho aqui apresentado é o de dar ao leitor uma visão geral e, tanto quanto possível, abrangente, dos preços dos produtos praticados em Portugal em Abril de 2008.

 

Começa o dia, começam os gastos

 

São sete horas da manhã. As primeiras despesas do dia são feitas ainda com os olhos ensonados. A água e o gás para o banho não nos fazem puxar imediatamente da carteira, mas deixam invariavelmente uma conta ao fim do mês. Um casal com dois filhos paga cerca de 20 euros de água e cerca de 30 euros de gás todos os meses.

Sete horas e trinta minutos. Para quem escolhe tomar o pequeno almoço fora de casa, encontramos mais despesas, literalmente, ao virar da esquina. Prepare-se para pagar 0,60 euros por um café e 0,70 euros por um pastel de na-ta. Se quiser comprar um jornal diário, fique a saber que este lhe vai custar mais 0,75 euros.

 

E o dia continua

 

São agora oito horas. De jornal debaixo do braço, segue para o emprego. Se vive em Lisboa e opta pelos transportes públicos, o passe mais comum é o L1 e custa 36,86 euros por mês. Se vive mais longe do trabalho ou precisa de viajar em vários transportes públicos, o mais provável é que tenha o passe L123. Este passe é válido para uma área maior e custa 50,50 euros.

Para quem não mora nos grandes centros urbanos, a viagem de carro é, muitas vezes, incontornável. E quem viaja de carro ou mota está sujeito às variações constantes do preço dos combustíveis. Actualmente, um litro de gasóleo custa cerca de 1,28 euros. Já um litro de gasolina custa 1,34 euros. Ainda a título de exemplo, se vive na margem sul do Tejo e viaja pela ponte Vasco da Gama, a entrada em Lisboa é cobrada ao preço de 2,25 euros.

Mantendo-nos ainda em assunto de duas ou quatro rodas, fique a saber que o preço de um carro de gama média, como um Renault ou um Ford, pode rondar os 20 mil euros, mais acessório, menos aces-sório.

 

As compras para o jantar

 

Com o dia de trabalho a chegar ao fim, é tempo de pensar no que se vai fazer pa-ra o jantar. São agora dezoito horas. Se não tem nada preparado de véspera, o mais natural é dar um salto ao supermercado mais perto.

Um jantar preparado assim em cima da hora será qualquer coisa simples. Ora, uma embalagem de um quilo de arroz custa cerca de 0,85 euros. Quinhentas gramas de lombo de porco, são 4 euros. Um quilo de tomates, são 1,50 euros. Uma garrafa de um litro de sumo de fruta, são 1,15 euros.


Viva o lazer

 

O fim do dia é tempo de lazer. As ofer-tas são variadas. Pode limitar-se a ver televisão, pode ler um livro, pode ir ao cinema ou ao teatro. Pode passear, o que será talvez mais barato, a não ser que se des-loque de carro. Nesse caso, é favor recordar os valores referidos na página ao lado.

Se gosta de ver televisão e não se li-mita aos quatro canais portugueses (RTP 1, RTP 2, SIC, TVI), é natural que tenha uma assinatura de TV por cabo. A oferta de mercado que tem conquistado a maioria dos portugueses inclui telefone fixo, In-ternet e cerca de 100 canais de televisão. O preço ronda os 50 euros mensais.

Se, por outro lado, quer ler um livro, tomamos a liberdade de sugerir um romance do prémio Nobel português, José Saramago. "Ensaio sobre a cegueira", que foi adaptado recentemente ao cinema pelo célebre realizador brasileiro Fernando Meirelles, custa 14,70 euros.

Outra opção para um fim de dia é uma ida ao teatro. O encenador Filipe La Féria tem em palco uma adaptação do musical "Jesus Cristo Superstar". Um bilhete de balcão custa 20 euros. Um bilhete de pla-teia custa 35 euros.

 

As compras para a casa

 

Chegado o fim-de-semana, é altura de fazer as compras para o mês. É, normalmente, nas visitas às grandes superfícies comerciais que as famílias se abastecem da generalidade dos produtos alimentares e de limpeza para a casa. Para ficar com uma ideia dos preços praticados em Portugal para este tipo de produtos, consulte a caixa "Lista de Compras" à direita. Aí pode encontrar, por exemplo, os valores a pagar por um litro de óleo, por três quilos de batatas, por um quilo de maçãs, por seis ovos, por 28 pastilhas de detergente para a roupa ou por 12 unidades de papel higiénico.

As outras compras

 

Mas também nos centros comerciais pode adquirir uma infinidade de outras coisas. Aqui, os preços praticados podem variar mesmo muito, naturalmente, confor-me as marcas. Ora, mantendo-nos no mais básico, na roupa, e baseando-nos em valores médios, podemos dizer-lhe que uma t'shirt pode custar 18,90 euros. Uma camisa pode chegar aos 30 euros. Um par de calças, 35 euros.

Entrando no mundo da electrónica, um telemóvel de segunda geração (sem video-chamada ou máquina fotográfica) de uma marca considerada como de qualida-de em todo o mundo custa, no mínimo, 49 euros. Um telemóvel de última geração da mesma marca custa sempre mais de 300 euros. Isto se não entrarmos nos produtos de luxo.

O preço de um computador portátil de uma das principais marcas pode ir dos 600 aos 1500 euros. Os mais comuns custam entre 900 e 1100 euros.

Ainda no domínio da electrónica, um televisor LCD de 50 centímetros, custa 400 euros.

Passando da informática para o conforto do lar, fique a saber que um sofá com quatro lugares e de 2,33 metros custa 800 euros. Um candeeiro de mesa com 2 abajures, por exemplo, pode custar 30 euros. Já uma cama de madeira e aço, com 140x200 centímetros, custará à volta de 109 euros.

 

A vida ‘alternativa'

 

Porque um artigo sobre o preço dos produtos não pode estar concluído sem uma referência à poupança, deixamos-lhe aqui algumas sugestões muito simples so-bre como poupar alguns cêntimos no dia-a-dia. Só algumas, porque, quando a crise aperta, como agora acontece, a procura do preço mais baixo para o mesmo produto torna-se quase um modo de vida, passe o exagero.

Sugestões: experimente levar o almoço preparado de casa; leia jornais gratuitos; tome duches em vez de banhos e reutilize a água dos cozinhados; quando for ao su-permercado, faça uma lista de compras e limite-se à lista; não compre coisas que pode fazer você mesmo.

Ou, se preferir, compre um bilhete da lotaria e acredite que desta é que vai ser...

 

A vida em números

 

Este ano, o salário mínimo nacional ascende a 426 euros. O salário médio, segundo as estatísticas, ronda os 840 euros. Mas há diferenças acentuadas entre homens e mulheres. Uma trabalhadora ganha, em média, 829 euros mensais. Um trabalhor recebe 1111 euros.

Entretanto, em Março deste ano, a inflação subiu para 3,1 por cento, com os aumentos mais expressivos a ocorrerem nos produtos alimentares, nos transportes e na habitação, precisamente os gastos que mais pesam nos orçamentos familiares.

Um inquérito do Instituto Nacional de Estatística às despesas das famílias, divulgado no final do mês de Março, mostrou que 80 por cento do rendimento familiar é gasto em bens e serviços e que, do total dos gastos, 55 por cento dizem res-peito a habitação, alimentação e transportes.

 

Nota: a título indicativo, saiba que, a 21 de Abril, 1 euro valia 1,59 dólares e 0,80 libras esterlinas.


J.P.D.


outras notÍcias desta secÇÃo







EDIÇÃO IMPRESSA
destaque

Sondagem
HOJE FAZEM ANOS
Adriano Ferreira - Franca
Antonio Abreu - Alemanha
Antonio Cepeda - Brasil
Antonio Couto - Brasil
Antonio Silva - Brasil
Brian Lourenco - Suica
Cardoso Samuel - Franca
Ferreira Carvalho - Ilhas Jersey (ru)
Goncalves Madeleine - Franca
Jose Cardoso - Alemanha
Jose Pais - Alemanha
Manuel Brito - Franca
Manuel Luis - Alemanha
Manuel Moris - Alemanha
Maria Correia - Brasil
Valquiria Barbosa - Brasil
DOSSIERS
destaque
destaque

PUBLICIDADE
destaque
 
O Emigrante / Mundo Portugus
Av. Elias Garcia 57 - 7 1049-017 Lisboa - Portugal
Tel: +351 21 795 76 69 | Fax: +351 795 76 65
Email: redaccao@mundoportugues.org   |  assinaturas@mundoportugues.org
Webdesign por